domingo, 2 de maio de 2010

Uma das coisas legais de se mudar bastante é que você faz amigos em vários lugares. A parte ruim disso é que você fica ligada às pessoas e sente saudades, e, se não for rica, não tem jeito, vai demorar para ir a todos estes lugares visitar os amigos.
Fiz muitos amigos em Floripa, e apesar de ser "caminho" para casa, não dá para aguentar 12 horas em um ônibus papara passar o final de semana e ainda fazer uma paradinha no meio do caminho, né? Resumindo... vou para casa a cada 2 ou 3 meses e 2 vezes por ano passo em Floripa.
Uma das coisas ruins desse negócio de se mudar bastante, é ter que virar gente grande. Tipo... em Floripa, eu ainda tinha meu pai por perto, em Porto Alegre, todo o resto da família. Apertou a grana? Pedia para minha mãe fazer compras para mim no cartão dela, básico! Mas estar longe nos força a ter mais responsabilidade, a ser mais contidos. Que saco, eu não pedi para ter responsabilidade! Adorava quando estava no colégio e nos dias de muita chuva minha mãe dizia que eu podia ficar em casa. Agora, é procurar a bota mais fechada, o casaco mais comprido (para se molhar o mínimo possível) e vambora! O trabalho espera!!
Eu não pedi para virar adulta, ter que pagar contas, compromissos!!
Ontem saí com uma amiga de Floripa que veio me visitar e passamos em uma loja com as botas em promoção. Minha amiga estava lá, empolgada, pensando em levar duas botas, e eu me coçando, precisando de sapatos pra o inverno que está chegando. Saco!
Pensei: bom, se eu levar a bota aqui, compro um presente mais baratinho de dia das mães, gasto menos no supermercado... aieeeeee! Me lembrei... se eu fcar sem grana não tem ninguém para me acudir. Que saco essa tal responsabilidade que nos acompanha cada vez mais freqüente mente quando vamos ficando mais velhos, né? Não levei as botas. Alguém quer me dar uma de presente? Estavam em promoção...